No banco dos réus os irmãos João Macedo e Renato Macedo, que tiveram em suas defesas os Advogados Pedro Cordeiro e Cássio Madureira, respectivamente.

Na acusação a Promotora de Justiça Drª. Daniele Cochrane Santiago Dantas Cordeiro, auxiliada por Dr. Jair Antonio, Promotor de Justiça e o Advogado Rodrigo Almeida, na presidência o Meritíssimo Dr. Juiz Teomar Almeida de Oliveira.

Um dos pontos mais quentes se deu no momento dos depoimentos do Delegado de Polícia Civil, Dr. Felipe Neri, principalmente nas questões do Advogado de Defesa, que questionava as evidências levantadas pela investigação, outra testemunha ficou tão nervosa que não tinha condições de responder a simples perguntas, nem mesmo que tipo de medicação havia passado para o réu, no local de onde foi simulado o acidente.

Já no início da noite Dr. Pedro Cordeiro desistiu de fazer a defesa de João Macedo, e foi multado em 50 salários mínimos, porém em entrevista à nossa reportagem disse que irá recorrer. Dr. Cássio assumiu a defesa de João.
Drª Danile citou em suas várias falas, “Equiparo o dia de hoje, como o dia do enterro de Márcia Regina, pois a família esse tempo todo nunca pode viver seu luto”.

Finalmente às 03h30min, os jurados chegaram a uma decisão sem contradições, e as sentenças foram proferidas pelo Juiz, somente às 03h50min, condenando João Macedo a 30 anos de regime fechado pela morte de Márcia Regina, e mais 2 anos pela fraude processual, seu irmão Renato foi sentenciado a 3 anos e deve cumprir em regime semiaberto.

Ao receber a sentença o condenado João Macedo, ao tomar conhecimento que deve cumprir sua pena em regime fechado, retrucou diante do Juiz, “tantos anos de policial militar e tantos de policial civil, vocês acabam de decretar minha sentença de morte, pois todos sabem como é tratado um policial na cadeia”.

João e Renato foram conduzidos direto ao Complexo Policial de Senhor do Bonfim, para o cumprimento de sentença.Blog do Netto Maravilha