O ator e diretor baiano Wagner Moura denunciou na segunda-feira (1º), em entrevista ao Roda Viva, o ataque ao acampamento do MST em Prado, no interior da Bahia. Segundo Wagner, o ataque aconteceu no mesmo lugar onde será feita a exibição de seu filme.

“Quando eu digo que nós seguimos sendo atacados, os ataques são graves. Nós vamos exibir o filme na cidade do Prado, no acampamento do MST. E ontem mesmo, 20 homens encapuzados chegaram no acampamento, atiraram nos carros, fizeram gente do MST de refém lá, e eu não posso descontextualizar esse ataque nesse lugar à exibição do filme da gente lá”, diz Moura sobre o ataque que aconteceu no último domingo (31).

O diretor fez ainda um apelo ao governador Rui Costa (PT) para que preste previdências e tome as devidas medidas para garantir a integridade das famílias.

A denúncia foi feita após Roger Cipó, apresentador do Preto à Porter, relembrar uma frase importante de Marighella, que é “Eu não tive tempo para ter medo”. Wagner finalizou afirmando que não pode ter medo, e não tem medo de ir para o acampamento. “Nós todos precisamos falar e tomar uma providência porque o estado das coisas é muito grave”, afirma.

Sobre o Autor

Redação

Site de Notícias de Saúde,10 anos levando informações locais regionais .

Ver todos os Artigos