A empresária Melina Esteves França, investigada por agredir a babá Raiana Ribeiro em Salvador, colocou tornozeleira eletrônica na tarde desta segunda-feira (25), dois meses depois do ocorrido, no Fórum Criminal de Salvador, localizado no bairro de Sussuarana. A informação foi confirmada ao Metro1 pelo Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA).

De acordo com informações do Ministério Público Federal (MPF), havia um pedido de prisão preventiva para Melina, mas foi negado por ela ser mãe de crianças pequenas. Com isso, o órgão solicitou outras medidas cautelares, como o monitoramento eletrônico.

Melina está proibida de manter contato com a vítima e com qualquer testemunha do caso, não pode sair de Salvador sem a autorização da Justiça e deve ficar em casa durante a noite. Além disso, deve se apresentar a uma autoridade policial sempre que for solicitado.

A agressora ainda precisa cumprir uma série de determinações da Justiça do Trabalho. Além da babá Raiana, que pulou da varanda do apartamento em que sofria as agressões, Melina é investigada por submeter mais outras duas trabalhadoras a condições análogo à escravidão.

Sobre o Autor

Redação

Site de Notícias de Saúde,10 anos levando informações locais regionais .

Ver todos os Artigos