A empresária Melina Esteves França, investigada por agredir a babá Raiana Ribeiro, terá que usar tornozoleira eletrônica. A decisão é da Justiça Federal. O Ministério Público Federal explica que o pedido de prisão preventiva de Melina foi negado, por ela ter filhas pequenas. Por isso, outras medidas cautelares foram tomadas, como o monitoramento eletrônico.

Melina ainda precisa cumprir uma série de determinações da Justiça do Trabalho. Além da babá Raiana, que pulou da varanda do apartamento em que sofria as agressões, Melina é investigada por submeter mais outras duas trabalhadoras a condições análogo à escravidão.

Sobre o Autor

Redação

Site de Notícias de Saúde,10 anos levando informações locais regionais .

Ver todos os Artigos