Na comemoração do centenário da Independência do Brasil, em 1922, ocorreu a primeira transmissão radiofônica do Brasil. Cerca de 80 receptores transmitiram o discurso do então presidente, Epitácio Pessoa, e trechos da Ópera O Guarany, de Carlos Gomes.

A transmissão causou tanto alvoroço, que no ano seguinte, o carioca Edgard Roquette-Pinto fundou a primeira emissora de rádio no país. Formado em medicina, Roquette-Pinto convenceu a Academia Brasileira de Ciências a comprar os equipamentos necessários para fundar a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, em 1923, com o intuito de melhorar a educação no Brasil.

Durante o governo de Getúlio Vargas, em 1936, Roquette-Pinto doou a rádio ao Ministério da Educação e Cultura, dando origem à Rádio MEC. Foi a maneira que encontrou de evitar a censura e preservar a função educativa da rádio que criou.

Nascido em 25 de setembro de 1884, Roquette-Pinto recebeu o título de “Pai do Rádio Brasileiro” e, em sua homenagem, foi instituído o Dia Nacional do Rádio. O carioca deixou um importante legado: em meio às inovações tecnológicas, o rádio se reinventa e, com quase 100 anos, mostra que continua fazendo toda diferença no cotidiano dos ouvintes. Fonte .Abert

Vida longa ao rádio!

Sobre o Autor

Redação

Site de Notícias de Saúde,10 anos levando informações locais regionais .

Ver todos os Artigos