O Tribunal do Júri condenou na última quarta-feira (22) o réu Rafael Silva dos Santos a 21 anos de prisão em regime fechado por feminicídio. A acusação foi sustentada pelo promotor de Justiça Luiz Eduardo Souza e Silva, durante o retorno das sessões do júri após suspensão por conta da pandemia do coronavírus. 

O homem assassinou a então companheira em novembro de 2018, no município de Barreiras. O feminicídio foi cometido com o uso de uma faca na residência do casal e na frente dos dois filhos menores, “movido por sentimento egoístico e de posse”. 

O réu foi condenado pelo crime de homicídio qualificado pelo feminicídio e meio que dificultou a defesa da vítima. 

Sobre o Autor

Redação

Site de Notícias de Saúde,10 anos levando informações locais regionais .

Ver todos os Artigos