Em 2020, 1.137 pessoas foram mortas pela polícia baiana. Todas as vítímas eram homens negros, apontam os dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O estudo indica ainda que houve um aumento de 47% no indice de letalidade policial, com relação a 2020 – quando 773 pessoas morreram em decorrência de ações das forças do Estado.

A Bahia ultrapassou em números absolutos São Paulo — que teve 814 mortes — e se aproximou do Rio de Janeiro, unidade federativa que tem a polícia mais letal do país, com 1.239 mortes registradas.

Por meio de nota enviada ao Metro1, a Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) disse que, em janeiro de 2021, as polícias passaram a priorizar as ações de inteligência e preventivas, “buscando sempre evitar os embates”.

E completou: “Com essa medida, as mortes em confrontos, no primeiro semestre deste ano, comparando com o mesmo período de 2020, apresentaram redução de 33%. Em números absolutos foram 367 mortes, em 2021, contra 544, no ano anterior. Por fim, a pasta explica que a mudança tem como objetivos proteger policiais e os moradores de comunidades carentes”. A pasta, contudo, não comentou a questão de raça.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) inclui no grupo de negros as pessoas que se autodeclaram pretas ou pardas.

Sobre o Autor

Redação

Site de Notícias de Saúde,10 anos levando informações locais regionais .

Ver todos os Artigos