Batizada de “Operação Inventário” ação entrou na segunda etapa

O Ministério Público estadual deflagrou na manhã desta quinta-feira (16), a segunda etapa da ‘Operação Inventário’, que investiga fraudes em processos judiciais em trâmite no Poder Judiciário baiano. Os crimes foram supostamente praticados por organização criminosa formada por advogados, serventuários e particulares responsáveis por falsificação de documentos. A operação é executada por meio do Grupo de Apoio Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco),

Estão sendo cumpridos três mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão em Salvador, Lauro de Freitas e Ribeira do Pombal deferidos pela Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa da Comarca de Salvador (Vorcrim). Além disso, foram deferidos o afastamento de duas pessoas de suas funções públicas perante a Justiça baiana.

Nesta Fase, o Gaeco apurou indícios da prática de crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, fraude processual e uso de documento falso. A ‘Operação Inventário’ conta com o apoio operacional da Polícia Civil

A operação, que foi deflagrada em setembro de 2020, investiga fraudes identificadas no bojo de processos judiciais em trâmite na extinta 11ª Vara de Família, Sucessões, Órfãos, Interditos, Ausentes da Comarca de Salvador (atual 3ª Vara de Sucessões, Órfãos e Interditos e Ausentes). Metro1

Sobre o Autor

Redação

Site de Notícias de Saúde,10 anos levando informações locais regionais .

Ver todos os Artigos