Auxílio emergencial: Área econômica e Congresso condicionam nova rodada à aprovação de PEC


O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, condicionaram, hoje (12), o pagamento de um novo auxílio emergencial à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo.

A intenção é incluir uma cláusula de calamidade na proposta, que, entre outras medidas, permite ao governo adotar medidas para cortar custos por meio de redução de salário e de jornada dos servidores.

Rodrigo Pacheco, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), participaram de um almoço hoje, em que discutiram alternativas para a recriação do auxílio.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos

0