Defensoria da União recorre da decisão que negou adiamento do Enem


A Defensoria Pública da União recorreu hoje (12) da decisão da Justiça Federal de São Paulo, que decidiu manter as datas das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020 nos dias 17 e 24 de janeiro.

O defensor público João Paulo de Campos Dorini assina o pedido enviado ao TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), no qual a DPU argumenta que não há como impedir a transmissão da Covid-19 entre os estudantes e profissionais envolvidos na realização das provas.

De acordo com o defensor, “o despreparo e a ineficiência da administração pública não podem justificar colocar-se em risco milhões de pessoas, no pico da segunda onda da pandemia”.

Na decisão feita pela juíza Marisa Claudia Gonçalvez Cucio mais cedo, há o entendimento de que o coronavírus não afetou todas as regiões da mesma maneira e que, por isso, caberá às autoridades sanitárias municipais decidirem se há risco para a realização da avaliação em cada cidade.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos