Crivella tem celular apreendido em operação sobre ‘QG da Propina’ no Rio


O casa e o gabinete do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) são alvos de uma operação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil na manhã de hoje (10). A ação ocorre por intermédio da Coordenadoria de Investigações de Agentes com Foro (Ciaf/PCERJ). Os agentes cumprem um total de 22 mandados de busca e apreensão expedidos pela desembargadora Rosa Maria Helena Guita, relatora do caso no Tribunal de Justiça. Segundo a TV Globo, o celular do prefeito foi apreendido por agentes. A ação é um desdobramento da Operação Hades, que investiga um suposto ‘QG da Propina’ na Prefeitura do Rio.

Outros alvos da operação eram Eduardo Lopes, Mauro Macedo e Rafael Alves.

Lopes foi senador do Rio pelo Republicanos, ao herdar o cargo de Crivella, e foi secretário de Pecuária, Pesca e Abastecimento de Wilson Witzel.

Macedo foi tesoureiro da campanha de Crivella ao Senado, em 2008, e foi citado em delação sobre o esquema de propina envolvendo a Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do estado, a Fetranspor.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos