Em greve, funcionários dos Correios mantêm efetivo de 30% para atender serviços essenciais na Bahia


O Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos na Bahia (Sincotelba) afirmou hoje (18) que vai manter efetivo de 30% para atender serviços essenciais durante a greve da categoria, decidida pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (FENTECT).

A categoria se reuniu em assembleia na noite de ontem (17), em Salvador, e optou pela paralisação, que não tem previsão de terminar. Os serviços essenciais que seguem em funcionamento são entregas de remédios, Sedex, telegramas, vacinas, materiais biológicos, entre outros.

Os trabalhadores decidiram pela greve em oposição às propostas de privatização da estatal, além de alegarem que há negligência com a saúde dos trabalhadores na pandemia. A categoria também alega que perdeu direitos antes previstos em cláusulas contratuais, como os 30% do adicional de risco e a suspensão de tíquetes nos dias efetivamente não trabalhados (como férias, afastado pelo INSS e diminuição do mês). Além disso, eles pedem a volta dos auxílios especiais e de babá ou creche.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos

0