Prefeitura de Ponto Novo, prorrogou o “toque de recolher” pela segunda vez no município, de acordo com o Decreto 077/2020 publicado no dia (19).


O Decreto 077/2020 publicado domingo (19). Desde o dia 06 de junho, o município adotou a medida como estratégia de combate ao coronavírus.Segundo a prefeitura, o novo decreto segue a vigência das disposições contidas no Decreto Municipal 076/2020 e entra em vigor amanhã (20) e segue até o dia 26 de julho, ou até nova deliberação. O horário permanece das 20h às 5h. Neste período, fica proibida a circulação e a permanência de pessoas em todo município de Ponto Novo, bem como em estabelecimentos comerciais, praças, entre outros. De acordo com a nova publicação também ficou prorrogada até 03 de agosto de 2020, podendo sofrer novas prorrogações, a suspensão das aulas em todo o território do município de Ponto Novo, tanto nas escolas da rede pública, como particular de ensino, a serem compensadas nos dias reservados para os recessos futuros. Continuam suspensos, por prazo indeterminado, qualquer tipo de aglomerações e qualquer tipo de atividades culturais, desportivas e festivas, a exemplo de torneios de futebol, vaquejadas, cavalgadas, aniversários, festas, shows, passeatas e afins..Seguindo assim a prorrogação das determinadas fica mantida a realização de missas, cultos, reuniões religiosas e a permissão de abertura dos estabelecimentos comerciais na sede, distritos e povoados do município, em todos os ramos de atividade, incluindo restaurantes e lanchonetes, até às 17h, eles somente poderão funcionar para atendimento aos clientes, sem o uso de som e sem comercialização de bebidas alcoólicas, as entregas ou delivery funcionarão normalmente até às 23h, fica mantido o fechamento dos bares, e academias de ginástica, em todo o território do municípioAs feiras livres ficam suspensas na sede distritos e povoados, continuam autorizada a comercialização de gêneros alimentícios por feirantes do próprio município, de segunda a quinta-feira, até às 14h. Se mantém proibição de circulação de veículos coletivos como ônibus, vans e topiques intermunicipais, permitindo apenas o traslado dos mesmos dentro do município (sede, povoados e distritos>O descumprimento das determinações contidas no documento implicará ao infrator, pessoas físicas ou jurídicas, as medidas de aplicação de multa, suspensão/cassação imediata de alvará de funcionamento, bem assim, a comunicação às autoridades policiais de eventual prática dos crimes previstos nos arts. 268 e 330 do Código Penal. Art. 6º.

>Qualquer cidadão poderá denunciar o descumprimento do Decreto através do telefone (74) 98118-9624.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos

-1