Anvisa interdita todas as cervejas produzidas pela Backer


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou uma medida, nesta sexta-feira (17), que interdita todas as cervejas produzidas pela Backer cuja data de validade seja igual ou posterior a agosto de 2020. Foram confirmadas quatro mortes e 14 internamentos em estado grave, por intoxicação, após o consumo da cerveja Belorizontina, da empresa. Após isso, resultados laboratoriais divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento revelaram a presença das substâncias dietilenoglicol e monoetilenoglicol em seis outras marcas de cervejas produzidas pela Backer, além da Belorizontina.

De acordo com a Anvisa, exames podem apontar que a fonte de contaminação nas cervejas da marca pode ser sistêmica e não apenas pontual. Considerando que outros lotes de produtos da Backer podem estar comprometidos, a agência decidiu pela medida, em caráter cautelar. Desse modo, os lotes de cerveja da empresa Backer com validade igual ou posterior a agosto de 2020 não podem ser entregues ao consumidor.

O dietilenoglicol é uma substância tóxica, que não pode entrar em contato com alimentos e bebidas. O monoetilenoglicol, possui menor toxicidade, porém também tem a presença em bebidas vedada, por não fazer parte da composição destas. A Polícia Civil de Minas Gerais e o Ministério da Agricultura investigam como a contaminação ocorreu.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos