Governador pede investigação do MP e MPF sobre atos de terrorismo na Bahia


O governador Rui Costa pediu uma investigação do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e do Ministério Público Federal (MPF) a respeito de ataques criminosos na Bahia. Segundo o governador, durante o movimento grevista iniciado nesta semana, foram promovidos atos de terrorismo em Salvador e no interior da Bahia. “Estamos aqui acompanhando e combatendo essas ações criminosas lideradas por este movimento político-partidário. Essa reunião serviu para programar o combate aos bandidos e criminosos, que, nesses dois últimos dias, estão praticando ações delituosas em nosso estado”, disse Rui, em vídeo divulgado hoje (10) nas redes sociais.

Todo o material de áudio, vídeo, dentre outros, que foram reunidos pela gestão estadual será entregue para o MPE e o MPF dar andamento às investigações, “instaurando ações cíveis e criminais contra os responsáveis por essa onda de ataques e terrorismo”, segundo o petista.

Rui ainda fez um agradecimento aos policiais que não aderiram ao movimento. “Quero agradecer, em nome de todos os baianos e baianas, à nossa corporação, à PMBA, a esses homens e mulheres, pais e mães de família, que honram a farda, a disciplina, a carreira e garantem a segurança pública da população”, afirmou o governador.

Na reunião também foram apontados processos antigos e atuais que responde o presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), o deputado estadual Marco Prisco. De acordo com o titular da SSP, Maurício Barbosa, estão em execução ações para defender os policiais de qualquer tipo de assédio, como o que foi registrado nesta madrugada, quando viaturas foram atacadas por bandidos.

“A situação chegou a um ponto em que a dita representação de interesses da própria corporação coloca os policiais em risco. Então, estamos focando também na área jurídica para tomar atitudes legais contra isso”, garantiu Barbosa.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos

0