Caém.Formação de coordenadores e agentes de inclusão do AEE estimula soluções criativas para a inclusão

A Prefeitura de Municipal Caém através da Secretaria Municipal de Educação promoveu encontro de formação com coordenadores, coordenadoras e agentes de inclusão da rede municipal de Atendimento Educacional Especializado – AEE na última segunda-feira, (03), na sede do município. A formação contou com a mediação de Sinara Cristina Vilas Boas Gomes que tem vasta experiência nesta área e faz parte da equipe fixa do município.

Um dos objetivos foi refletir sobre principais desafios do AEE no município e pensar e construir coletivamente formas de superar esses mesmos desafios. Cada educador e educadora compartilhou os desafios enfrentados no cotidiano e a proposta foi buscar formas de superá-los. É fato que é muito recente no município de Caém a presença da educação especializada, também é fato que o município, mesmo com as limitações tem buscado oferecer o melhor possível para a comunidade.

Em 2019, o município, através da secretaria municipal promoveu o I seminário de Educação Especial e Inclusiva, este evento marcou um passo importante na construção de direitos e inclusão no município. Inclusão é um direito que a prefeitura de Caém em conjunto com a Secretaria de Educação estão buscando garantir e tem promovido mudanças significativas já percebidas pela população.
Muitos educadores ainda questionam a Educação especializada por não entenderem realmente o papel do Atendimento Educacional Especializado. O crescente número de matrículas de crianças com deficiências no ensino regular impacta diretamente a organização escolar.

A prática de destinar pessoas com necessidades especiais ao espaço privado, excluindo do convívio familiar e comunitário era bem comum até pouco tempo e deixou marcas culturais no trato com essas pessoas, fato é que as reivindicações de inclusão e adaptações para socialização das pessoas com deficiência traz benefícios para toda a comunidade.

Educadores, gestores e demais profissionais da educação, em geral, ainda enfrentam o desafio de criar e buscar suprir o pouco embasamento para desenvolver práticas que possam ser, de fato, inclusivas. Nesse contexto, o principal objetivo ao criar a capacitação era fazer com que os educadores e educadoras da rede municipal superassem a ideia de que estudantes com deficiência são “casos extraordinários” e passassem a acolhê-los enquanto constituintes legítimos da escola de modo a promover a socialização desses com o restante da turma, contribuindo diretamente para práticas de fortalecimento no trato com a diversidade e sentimento de coletividade.

Profissionais do AEE fazem a ponte entre estudantes e educadores e educadoras na sala de aula regular, permitindo uma troca de experiência que contribua nesse processo educacional e em todo o contexto escolar, bem como a inserção na sociedade. A lei diz que a oferta de educação especial (AEE) deve ocorrer preferencialmente na rede regular de ensino. Isso quer dizer que o ideal é que a escola regular tenha uma sala de recursos multifuncionais e uma equipe especialista para oferecer o atendimento educacional especializado dentro da escola. (BRASIL, 2011).

Ao final do encontro a mediadora Sinara Gomes compartilhou algumas estratégias metodológicas, realizou atividades que provocaram a criatividade dos educadores e educadoras e também uma avaliação sucinta do encontro, onde alguns pontos surgiram como demandas a serem resolvidas prioritariamente. Ações como incluir mais educadores neste processo, provocando a sensibilização dos e das profissionais para o compromisso em garantir educação de qualidade para todos estudantes, reunião com pais e mães a fim de evidenciar que as agentes de inclusão trabalham no processo de mediação das crianças no ambiente escolar e não cabe a elas desenvolver papel de cuidadora ou babás das crianças, onde pais e mães devem se comprometer em contribuir diretamente no processo educacional de seus filhos e filhas, maior atenção e criação de ações efetivas e imediatas para estudantes surdos.

A secretaria municipal de educação tem buscado incansavelmente melhor qualificar seus profissionais, investir em ambientes escolares mais inclusivos e seguros para garantir que mais crianças consigam ser acolhidas e educadas de forma gratuita e com qualidade. É de suma importância a participação e comprometimento da família neste processo e também de toda a sociedade para assegurar que toda criança e adolescente tenha seu direito à educação pública e de qualidade garantidos.

PREFEITURA DE CAÉM JUNTOS FAREMOS MAIS

ASCOM

André Araújo

André Luiz Araújo é formado em radialismo, com o Registro Profissional para Radialistas( RPR) 3.572/Ba . Exerce a profissão a mais de 21 anos , onde mantem o Blog Espaço Aberto.Net ,9 anos levando noticias locais e regionais , sendo uns dos sites mais bem acessados de Saúde e região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *