Adolfo Menezes coloca primo para trabalhar na AL-BA com salário inicial de R$ 11 mil


O deputado estadual Adolfo Menezes (PSD), apontado como o próximo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) (veja aqui), tem um primo como funcionário de seu gabinete na vice-liderança da maioria da Casa. 

 

Cesar Wellington Monteiro de Menezes foi nomeado secretário parlamentar de nível máximo (SP-25) e terá um salário inicial, sem as bonificações, de R$ 11 mil.  A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Legislativo desta terça-feira (12).  

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, Adolfo Menezes confirmou o grau de parentesco com Cesar e revelou que o primo já trabalhava com ele na liderança do PSD no último biênio. “Não é nepotismo. Ele está comigo há 14 anos. A novidade é que ele sai da vice-liderança do PSD e vai para a vice-liderança do governo”, assentiu o político. 

 

A prática de empregar primos, apesar de imoral, não se configura como nepotismo. O crime administrativo tipifica a contratação de familiares em primeiro grau para cargos comissionados. De acordo com Menezes, o conhecido funcionário não trabalha diretamente no gabinete da AL-BA, exercendo a função de secretário parlamentar na região de Campo Formoso, cidade natal do deputado. 

 

Além do trabalho como secretário, Cesar Wellington Monteiro de Menezes aparece sócio de pelo menos três empresas em Campo Formoso: J.P. International Brasil, RC Pneus e a Quartzo Campo Formoso. O município é governado pela irmã do deputado, a prefeita Rose Menezes (PSD).

 

No seguimento de funcionários nomeados para o novo gabinete de Adolfo Menezes ainda aparecem Carlos Eduardo Teixeira Guimarães, Eliane Teixeira Guimarães e Tatiana Teixeira Guimarães. Os integrantes da família também foram nomeados como secretários parlamentares de nível máximo (SP-25) e, segundo Adolfo, são pessoas de confiança que trabalham no gabinete. Os salários, juntos, somam inicialmente R$ 33 mil.


Você gostou? Compartilhe com seus amigos

0