Temer autoriza abate de ‘aeronaves hostis’ na posse de Bolsonaro


O presidente Michel Temer e o atual ministro da Defesa, Joaquim Silva e Lima, assinaram um decreto que autoriza o abate de aeronaves que invadirem o espaço aéreo, delimitado como área de segurança, durante a posse presidencial de Jair Bolsonaro no dia 1º de janeiro. O texto foi publicado hoje (28) no Diário Oficial da União.

O decreto vai ter validade de 24 horas, a partir de zero hora do dia 1º de janeiro até a zero hora do dia 2 de janeiro. Cabe ao Comandante da Aeronáutica dar a palavra final sobre o ataque com o objetivo de destruir uma aeronave suspeita.

A operação montada para a posse de Bolsonaro é formada por 12 bases terrestres que ficarão instaladas pela Esplanada dos Ministério. Dois tipos de mísseis podem ser utilizados: o IGLAS, de fabricação russa capaz de abater aeronaves em um raio de seis quilômetros; e o RBS 70, de origem sueca e capaz de abater aeronaves em um raio de sete quilômetros atingindo rápida velocidade.

Inédito em posses presidenciais, o esquema de segurança do espaço aéreo vai ser executado por 130 militares do Exército e da Força Aérea Brasileira (FAB).


Você gostou? Compartilhe com seus amigos