Ex-assessor confessou ter matado Gerson Camata com tiro à queima-roupa


Um antigo assessor do ex-governador do Espírito Santo Gerson Camata, 77 anos, teria assassinado o político na tarde desta quarta-feira (26). O homem foi preso pela Polícia Militar pouco após a execução e, ao prestar depoimento, teria confessado o homicídio. O motivo: o ex-funcionário perdeu um processo judicial movido contra o emedebista.
A Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) confirmou que Gerson Camata foi vítima de disparos de arma de fogo efetuados por Marcos Venicio Moreira Andrade (foto abaixo), 66 anos, ex-assessor do político, que chegou a fugir, mas já está preso e prestando esclarecimentos no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória (ES).
Informações dão conta que Marcos Vinícius encontrou o senador aposentado em uma padaria próximo de onde ele morreu, em um dos pontos mais movimentados da Praia do Canto – área nobre de Vitória. Ao contrário do que disseram testemunhas, Marcos Venicio confessou que, sem conversar com o ex-patrão, deu um tiro à queima-roupa em Camata, que caiu morto após ser atingido no pescoço. O atirador tentou fugir, atravessou a rua, caiu em frente a um bar e foi preso na sequência.
Fonte: Metrópoles

Você gostou? Compartilhe com seus amigos

0