Caém.Educacao de Qualidade e Inclusiva para o povo caenense

A Prefeitura de Caém, através da secretaria de Educação, oferece a alguns anos o serviço de educação especial no município. Essa ação visa garantir aos estudantes da rede municipal o direito de aprender e de ter acesso a uma educação de qualidade de forma gratuita e inclusiva, promovendo a ampliação de tempos, espaços e oportunidades educacionais com acompanhamento pedagógico, cultural e lazer.

Via Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) é preciso garantir novas propostas de gestão, financiamento, políticas de formação de professoras (uma vez que são maioria mulheres), dentre outras medidas implementadas com o objetivo de melhorar a qualidade do sistema de ensino inclusivo no e do município de Caém.

Inclusão escolar, é a ação de acolher todas as pessoas no sistema de ensino, sem exceção, independentemente de cor, classe social e condições físicas e psicológicas. É de fundamental importância lembrar que uma criança com deficiência não deve ter de procurar uma escola especializada. Ela tem direito a cursar instituições comuns, e é dever dos professores elaborar e aplicar atividades que levem em conta as necessidades específicas dela.

O artigo 208 da Constituição brasileira específica que é dever do Estado garantir “atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino”, condição que também consta no artigo 54 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

No município de Caém as crianças recebem atendimento individual em atividades com as famílias semanalmente. A equipe se desloca para as comunidades de Piabas e Gonçalo e também realiza o mesmo serviço na sede. Na última década, nosso sistema escolar modificou-se com a proposta inclusiva e um único tipo de escola foi adotado: a regular, que acolhe todos os alunos, apresenta meios e recursos adequados e oferece apoio àqueles que encontram barreiras para a aprendizagem.

As famílias percebem como a interação no espaço escolar contribui para a socialização e desenvolvimento cognitivo das crianças.“Eu acho que tá melhor, ele tá mais esperto, melhorou bastante”, contou Patrícia Anastácia, mãe de uma das crianças acompanhadas pelas equipes.

A equipe de trabalho em educação especializada conta com uma psicóloga mestre em terapia ABA (análise de comportamento aplicada) e TEA (transtorno do espectro autista), uma professora de libra, uma intérprete de libras, três psicopedagogas e onze agentes de inclusão distribuídas nos três polos de educação inclusiva que atende cerca de 42 estudantes acessam essa política. Sendo 22 na sede, 12 em Piabas e 8 em Gonçalo.

O acesso a educação é direito básico que deve ser garantido pelo Estado. A ideia da inclusão é mais do que somente garantir à entrada de estudantes nas instituições de ensino. O objetivo é eliminar obstáculos que limitam a aprendizagem e participação discente no processo educativo.

PREFEITURA DE CAÉM JUNTOS FAREMOS MAIS

ASCOM

André Araújo

André Luiz Araújo é formado em radialismo, com o RP 3.572/Ba . Exerce a profissão há 20 anos , onde mantem o Blog Espaço Aberto.Net ,8 anos levando noticias locais e regionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *