Jaguarari – Ministério Público investiga presidente da Câmara de vereadores, por supostos novos funcionários fantasmas


O Ministério Público abriu procedimento investigatório IDEA N. 127.9.124087/2018 para investigar o presidente da Câmara de vereadores de Jaguarari – Marcio Gomes, pela suposta contratação de novos funcionários fantasmas para câmara. Vale lembrar que o presidente da Câmara de vereadores de Jaguarari já responde a ação criminal, por esses mesmos crimes, quando no ano de 2017, nomeou servidores que nunca trabalharam na câmara e recebiam salário de quase R$ 2000,00 (dois mil reais).

Essa nova denuncia é ainda mais grave, porque além da nomeação de fantasmas, o presidente omitia as informações do processo de pagamento ao ETCM, em suposta fraude aos meios legais de fiscalização. Agora a situação do presidente pode se complicar, haja vista que algumas medidas cautelares restritivas de direitos já haviam sido determinadas pela juíza da comarca local, tal como comparecimento obrigatório ao cartório criminal a cada dois meses, impossibilidade de deixar o país sem prévio conhecimento vara criminal, etc.

Agora a situação do presidente pode se complicar, haja vista que algumas medidas cautelares restritivas de direitos já haviam sido determinadas pela juíza da comarca local, tal como comparecimento obrigatório ao cartório criminal a cada dois meses, impossibilidade de deixar o país sem prévio conhecimento vara criminal, etc.

O ingresso de uma nova ação crime pelo Ministério Público pode representar pela queda das cautelares, e assim, automática determinação de prisão pelo juízo da comarca local. Na denúncia o Ministério Público, já possui farto material que comprova a existência de um suposto esquema de mais 3 funcionários fantasmas, nomeados pelo presidente, em lesão ao erário público.

Os novos supostos funcionários fantasmas são:

1- ALESSANDRA DA SILVA OLIVEIRA.

2- DIEGO SILVA FERREIRA DA COSTA

3-EULA PAULA FEITOSA DA SILVA

O Ministério público já vinha investigando todo o suposto esquema criminoso, estando com diversas provas dos fatos, inclusive já intimou o presidente da Câmara de vereadores de Jaguarari, sobre todos os supostos fatos, agravando fortemente a situação jurídica do atual presidente, que poderá ter pedido de prisão decretado, inclusive por quebra das medidas cautelares que já tinham sido determinadas pelo juízo da comarca local, no processo anterior dos funcionários fantasmas em curso e já na fase de final de instrução.Por:Minutobahia


Você gostou? Compartilhe com seus amigos

0